Diferença entre Orquestra Filarmônica e Sinfônica

Diferença entre Orquestra Filarmônica e Sinfônica

Geralmente uma orquestra sinfônica é mantida pelo poder público, federal, estadual  ou municipal. Já uma orquestra filarmônica é mantida por uma associação de amigos, uma entidade organizada que capta recursos para a manutenção do grupo. Mas a quantidade de instrumentos é a mesma, o repertório é o mesmo – tudo igual. São igualmente famosas e importantes orquestras como a Filarmônica de Berlim, a Filarmônica de Viena, a Sinfônica de Londres ou a Sinfônica de Chicago. Na sua origem, o termo filarmônico está relacionado a filarmonia. “Filo”, (no grego philos), exprime a noção de amigo e harmônico (harmonikos) exprime a noção de harmonia, de equilíbrio. Assim, filarmônica pode designar tanto uma agremiação ou sociedade musical quanto uma orquestra sinfônica. No passado tínhamos (e ainda temos algumas) as Filarmônicas, que eram bandas organizadas e geridas por associações de amigos – as filarmônicas eram bandas civis e se denominavam assim em contrastes com as bandas, que eram, geralmente, militares. Daí que, durante muito tempo, o termo filarmonia esteve associado a uma sociedade de amadores de música. O livro de Teoria Musica, do Professor Bohumil Med traz a seguinte definição: Orquestra Filarmônica: orquestra de amadores; sociedade musical (filo – filantropia); orquestra financiada por empresas ou grupos de pessoas, sem fins lucrativos.Orquestra Sinfônica: orquestra de profissionais; orquestra financiada pelo estado. Entretanto, o próprio autor observa que essa diferenciação desapareceu no século XX. Atualmente, completa Bohumil, os dois termos são usados para designar orquestras profissionais.

Assim, filarmônica ou sinfônica, o importante é ir aos concertos e desfrutar das apresentações desses grupos para os quais foram criadas verdadeiras obras-primas!

Qual a diferença entre Orquestra Sinfônica, Filarmônica e de Câmara?

Se compararmos esses dois tipos com uma orquestra de câmara, aparecem algumas distinções. A principal é o tamanho: uma orquestra de câmara é um conjunto bem menor e costuma ter, na maioria dos casos, entre 8 e 18 músicos. Abaixo disso, o conjunto já passa a ser chamado de septeto, sexteto, quinteto e assim por diante. Todas essas formações executam a chamada “música de câmara” – no caso, a palavra “câmara” é sinônimo de “sala, quarto ou aposento pequeno”. Ou seja, é um tipo de música erudita para pequenos espaços, executada por poucos músicos. Outra diferença importante é que, ao contrário das sinfônicas e das filarmônicas, as orquestras de câmara não costumam ter todos os tipos de instrumento, como os de corda, de sopro e de percussão. Na verdade, o mais comum é que elas tenham apenas um tipo deles – se for uma apresentação de corda, por exemplo, devem aparecer só violinos, violas, contrabaixos e violoncelos. Por fim, vale lembrar que embora as sinfônicas, filarmônicas e de câmara se dediquem principalmente à música erudita, existem várias experiências das grandes orquestras na música pop. Um dos exemplos mais famosos é a parceria dos Beatles com uma orquestra sinfônica na gravação do eletrizante hit “A Day in the Life”, do álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, de 1967.

 

Questão de tamanho e som
Formações de câmara são menores e têm menos instrumentos que as outras duas orquestras

DE CÂMARA

Uma orquestra de câmara varia seu número de integrantes e instrumentos conforme o tipo de apresentação. Por exemplo, na Orquestra de Câmara do Estado de São Paulo, o conjunto executa um repertório criado para instrumentos de corda com 21 músicos, 15 deles tocando violinos e seis com violoncelos.

 

 

Sinfônicas e filarmônicas

Hoje em dia, esses dois tipos de orquestra têm uma composição semelhante. A Sinfônica do Estado de São Paulo (foto abaixo) tem 105 integrantes — mas, como a maioria dos repertórios não exige todos eles, a orquestra costuma se apresentar com 80 a 90 músicos, divididos em quatro blocos principais de instrumentos:

CORDAS (61 instrumentos)

28 violinos, 13 violoncelos, 11 violas, 8 contrabaixos e 1 harpa

SOPRO — Madeiras (18 instrumentos)

4 flautas, 4 oboés, 5 clarinetes e 5 fagotes

SOPRO — Metais (18 instrumentos)

7 trompas, 5 trompetes, 5 trombones e 1 tuba

PERCUSSÃO (8 instrumentos)

3 tímpanos, 1 triângulo, 1 bombo, 1 reco-reco, 1 prato e 1 teclado

 

 

 

 

 

 

Fontes: https://super.abril.com.br https://blogs.gazetaonline.com.br

Comentários no Facebook